22.7.09

Black is beautiful.



Quando fala-se de preconceito, o mais lembrado, sem sombra de dúvidas, é o contra gente da raça negra.

Esta frase já carrega em si uma enorme carga de preconceito. Primeiro, que preconceito é algo que se refere somente a cores e não a dezenas de outras coisas que fazem grupos muito diferentes de pessoas sofrerem. Segundo, que negros são negros. Ninguém é negro, as pessoas são marrons, todas elas, em diversas tonalidades. Algumas quase róseas, mas essencialmente beges. E enfim, que há raças na espécie humana.

Há raças na espécie humana?
Geneticamente falando, um lulu da pomerânia é uma espécie completamente diferente de um rotweiller, e todos são cães. Este é um conceito de raça levado ao extremo. Mas mesmo falando de raças comuns, como as diferentes subespécies de macaco-prego por exemplo, é identificável uma certa distância genética que difere estas raças. Na espécie humana esta distância inexiste, e portanto podemos, no máximo, falar que há variedades na espécie humana.

Negros são mais agressivos que os outros? Fui assaltado por um negão, tinha que ser, né?
Primeiro, não existe "Um" negro. Afora a imensa variedade dos indivíduos, há tantas etnias diferentes que possuem a cor escura que não se pode fala de um só tipo de gente de cor marrom. Muitos caucasianos não diferem um japonês de um chinês ou um coreano, assim como não diferem um Tutsi de um hutu ou de um massai. Um aborígene australiano tem tanto a ver com um hutu quanto tem com um polinésio. Um turco tem tanto a ver com um bosquímano quanto tem com um hindu.

Assim sendo, vamos nos concentrar no aspecto social: imagine que a sua linhagem inteira, e a de todos os que estão perto de você, foi criada a base de chicote, marginalizada, alvo de achaques e humilhações, preterida no emprego por ter a cor errada embora mais competente e experiente, obrigada a trabalhos braçais intensos e bombardeados pela mídia como fisicamente mais fortes e brutos. Ou ainda, ser parte de um país que foi joguete de potências coloniais que forçaram a divisão de terras levando em conta tudo, menos o povo que lá habita?
Isso influencia a corrente predominante do pensamento de uma comunidade obrigada a condições de vida terríveis e submetidas a criminosos de todos os tipos? Isso causa guerras civis terríveis em um país?
Daí, negros são a maioria nas cadeias e cometem mais crimes. Com os japoneses na mesma situação, após 5 séculos de dominação, seria diferente? Seria diferente se tivéssemos raptado brutalmente poloneses de seu país e arrastado-os para outro mundo para serem escravizados geração após geração? Se dominássemos colonialmente a Rússia e a tornado nosso depósito de bandidos, conquistadores sanguinários e destino de milhões de homens e mulheres escravos, obrigados a produzir incessantemente para mandar as riquezas para o dominante mais fraco que nós?

Minha vizinha tá de caso com um negão.
A fantasia do negão é parte da propaganda preconceituosa do mundo. O homem negro é animalizado, serve de desculpa para a dondoca reprimida por séculos de doutrina cristã soltar seu lado fêmea, pois afinal ela está com um animal ao lado, não um humano. E se ele forem pegos, sempre é mais fácil acusá-lo de estupro e sair de vítima na história. A mulher negra então nem se fala, é objeto. Claro, muitos negros se sentem a vontade neste papel, pois ganham fama e mulheres, e esquecem do papel que o mundo lhes dá. Mas entra também o papel das características físicas dos povos, de que falamos abaixo.

Jogador de futebol bom é o Pelé.
Temos, sim, diferenças físicas entre as variedades humanas. A resistência física dos quenianos em provas de longa distância é uma lenda nos esportes. Em compensação, o atual recordista de cem metros rasos, uma prova de explosão muscular, é negro mas tem tanto em comum com um queniano como tem com um russo, além da cor.
MAS... essa capacidade física não é comprovadamente uma característica dos negros: pode ser simplesmente o efeito de que mais negros tentam as chances de ascensão social através do esporte. O crescimento dos chineses no quadro de medalhas é um sinal disto. Ninguém tem fantasias sexuais selvagens com chineses branquelos e baixinhos, mas eles estão colocando muitos outros povos famosos por suas características físicas no chinelo.

Negros aprendem menos?
Quantos negros você vê em uma classe de cursinho e quantos você vê em uma classe de futebol? E na mídia, vemos negros no papel de cientistas e de jogadores de futebol na mesma proporção? Muitos ignoram o poder dos estímulos externos na conformação dos desejos e das aptidões de uma pessoa. Isso sustenta minha opinião sobre cotas em faculdades: eu sou afro-descendente, mas isso não aparece na cor da minha pele. Tenho direito a uma vaga facilitada na pós que eu quero? Cor é prova de alguma coisa em um mundo mestiço? Não, mas pobreza é. Cotas por condições sociais são enormemente mais justas que cotas para negros, pois aposto que o boliviano, o coreano e o português que vieram para o Brasil em busca de oportunidades e mora em um cortiço merecem chance de estudo. E certamente vão ter mais negros entre as classes mais pobres, pelos mesmos comentários acima citados para violência.

Negros são preguiçosos.
Fale isso para um cara que fica dez horas por dia, se não mais, pendurado em um andaime, carregando tijolos, submetido a agravos causados por condições perigosas de labuta, correndo o risco de ser mandado embora e sem registro em carteira, e que não consegue um emprego mesmo com segundo grau completo e muito esforço e dedicação por causa de sua cor e por ser tachado de preguiçoso. Pergunta se ele tinha pais que tinham dinheiro o bastante para mantê-lo dedicado aos estudos até os 25 anos, como fazem muitos por aí, e se isso garantiria-lhe o mesmo salário que o branco ao lado dele tem.
Até eu ajudo-o a bater em quem vem com essa.

Logo tem mais sobre o assunto.

3 comentários:

Adriano C. Tardoque disse...

Pois é... Enquanto as pessoas não parenderem a ver as coisas pelo ponto de vista da construção social, idéias como as que levantou, serão perpetuadas na nossa sociedade.

Mary Joe disse...

Você arrasou nesse post...

Klaus disse...

Cientificamente já esta comprovado q o negro possui 20% mais testosterona q favorece a agressividade, q seu qi é bastante inferior, e q mesmo negros favorecidos socialmente cometem crimes em numero muito maior q brancos, seu post é apenas um achismo legal.