5.5.07

Carol

Acabo de" salvar" junto com minha prima Ana a Carol, outra prima, de um seqüestro.

O mais engraçado é que ela nem sabia que estava sendo sequestrada. Isso só estava acontecendo na cabeça da mãe dela, na mente coletiva de uma gangue daquelas que ouvimos falar nos programas sensacionalistas e nos piores pesadelos de todos os demais.

Sabe o que é mais estranho? É exatamente como reza o clichê. O celular da suposta vítima está desligado, portanto, ela está sem contato. Uma ligação aparece do nada e uma voz chorosa e genérica pede ajuda, uma ligação policial falsa logo em seguida e logo viria algum pedido de resgate ou sei lá o quê. Um acúmulo de lugares comuns de jornaleco.

Ela tinha deixado acabar a bateria, o que me faz pensar que alguém deve ter tentado ligar para ela antes de começar o golpe e descobriu que ela estaria incomunicável. Pessoas, troquem o número se algo assim rolar! Alguma enrolação, e eu me enchi e resolvi ir pra facul dela ver se ela estava no nobre esporte irlandês de encher a cara.

O conhecimento insuperável da botecogeografia de entornos de faculdade foi essencial para achar a Carol, feliz e contente dois segundos antes da gente cair abraçado nela e explicar que só ela não estava em pane na família Avari.

Agora vai virar piada de festa familiar. Mas o entendimento do que é medo passa por aqui!

2 comentários:

Denise Azevedo disse...

Informação é segurança. Saber que esse tipo de golpe existe pode ser a maneira mais segura de evitá-lo. Legal você ter divulgado!

Bianchini disse...

Amigoooo!!!

Passei por uma dessas na sexta passda pra variar minha mãe quase enfarta neh!!!! mas td resolvido... somente o telefone do meu ramal tava com defeito e meu celular sem sinal... o pior que nessas horas o acaso entra em colapso com o desespero ... mas ela me achou... e foi mais esperta que eles pois assim que escutou o golpe desligou e ligou pra mim.... mas agora eu sei o quanto é ruim...


Um bj e contunue divulgando!!!


**Maçã**